Vacinação em abril teria salvo mais de 24 mil vidas, aponta estudo da ImpulsoGov

Análise inédita desenvolvida pela ONG ImpulsoGov e publicada nesta segunda-feira, 24 de maio, aponta que a vacinação em grupos prioritários em abril pode ter sido responsável por uma redução de 16,7% de óbitos entre pessoas com mais de 80 anos.
 
A aceleração da redução da taxa de óbitos coincidiu com o processo de vacinação no grupo de idosos acima de 80 anos, porém é preciso evidenciar que esses resultados podem estar associado a vacinação e/ou a outras variáveis. Entre o final de janeiro e até o dia 21 de abril houve uma redução de 8,1 pontos percentuais no número de óbitos do grupo acima de 80 anos.
 
O coordenador de dados da ImpulsoGov, Marco Brancher, autor do estudo, comenta que “ainda que esses resultados não sejam evidências causais, são um sinal importante da importância da campanha de vacinação para a sociedade e para o governo. Todavia, mesmo com a vacinação ainda devemos manter o nível de alerta e o distanciamento social.”
 

Conheça nossa metodologia e acesse mais ferramentas

Simule cenários do impacto da vacinação na redução de óbitos

Disponibilizamos uma planilha para você projetar e adaptar os 3 cenários traçados no nosso estudo sobre dados e vacinação.

Acesse e veja como a vacinação dos grupos prioritários impacta diretamente na redução dos óbitos por Covid-19 no país.

Calcule os grupos prioritários para vacinação no Brasil

Também usamos os dados disponíveis para criar uma ferramenta para apoiar no cálculo do tamanho dos grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19.  

A planilha mostra a quantidade de pessoas que integram cada grupo prioritário por estado e município no país, sem dupla-contagem.

Veja como foi o Webinar

Parte desses números e resultados foi apresentado em Webinar realizado dia 11 de março, com as participações  de  Álvaro Rossi, Consultor da Secretaria de Saúde dos EUA, atuando na força-tarefa contra a Covid-19, e Marco Brancher, especialista em dados de saúde que está debruçado na realidade brasileira.

Diante do progressivo agravamento da crise, os números têm mudado e a apresentação exibida no Webinar já teve alguns números atualizados.  A apresentação atualizada em 23/03 está disponível para download aqui.