Campanha #InformarPrevenirSalvar atualiza protocolos contra COVID-19.

Com foco em gestores públicos e prefeitos, Observatório COVID-19 BR e Anesp lançaram ontem, 02 de julho, campanha de comunicação que tem como objetivo atualizar protocolos no enfrentamento da pandemia. Campanha conta com apoio da ImpulsoGov, Frente Nacional de Prefeitos, Vital Strategies, Instituto Arapyaú, Instituto Alziras e Consórcio Conectar.

A partir de novas descobertas científicas sobre a COVID-19, a Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (Anesp) e o Observatório COVID-19 BR lançaram nesta sexta-feira, 2 de julho, uma campanha de comunicação que visa a atualizar as diretrizes para o enfrentamento ao coronavírus. A campanha, intitulada #InformarPrevenirSalvar, tem o objetivo central apoiar gestores públicos e prefeitos na disseminação de informações baseadas em evidências. As peças da campanha têm como objetivo reforçar o chamado “Triângulo da Prevenção”: uso de máscaras, distanciamento social e ventilação.

A campanha foi lançada em evento online que contou com a presença dos prefeitos Cinthia Ribeiro, de Palmas/TO, Dário Saadi, de Campinas/SP e Edmilson Rodrigues, de Belém/PA, além dos pesquisadores Gabriela Lotta (FGV) e Vitor Mori (Universidade de Vermont), envolvidos no desenvolvimento dos materiais.

Durante o evento, o prefeito de Campinas, Dário Saadi, ressaltou o papel central que os municípios estão desempenhando no enfrentamento da pandemia. “Os prefeitos estão praticamente sozinhos”, reforçou. Já a prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, destacou a importância de diretrizes unificadas para o combate à COVID-19, como observado em outros países. “As diretrizes estão muito soltas por parte do próprio órgão regulador, o Ministério da Saúde”, destacou a prefeita. Cinthia reforçou, ainda, a importância de iniciativas como a campanha #InformarPrevenirSalvar, que visam a oferecer materiais baseados em evidências científicos e endossados por pesquisadores.

A Campanha #InformarPrevenirSalvar

De acordo com o pesquisador Vitor Mori (Universidade de Vermont), um dos pesquisadores que atuaram no desenvolvimento dos materiais da campanha, se sabe hoje que o mais perigoso para a transmissão são os chamados os aerossóis, ou seja, as partículas mais leves, que ficam mais tempo no ar. Para Vitor,  “em um local fechado, às vezes, 2 metros não é o suficiente para garantir a segurança da pessoa, se o ambiente não está bem ventilado”. Além da ventilação, Vitor reforçou a importância do distanciamento social e do uso correto de máscaras, sem vazamento de ar.

A campanha conta, ainda, com uma cartilha que tem como objetivo apoiar Agentes Comunitários de Saúde (ACS) na divulgação dos protocolos atualizados. Para a pesquisadora da FGV, Gabriela Lotta, os ACS tem um papel central no enfrentamento da doença, uma vez que estão em contato direto e permanente com as comunidades. “A cartilha vai ajudar prefeitos e prefeitas a fortalecer a ação dos agentes como atores centrais no enfrentamento à pandemia”, afirma Gabriela.

As peças publicitárias com os protocolos atualizados podem ser baixadas gratuitamente por prefeitos e gestores públicos, bem como por organizações da sociedade civil, e editadas para incluir suas logomarcas, o que confere, assim, à campanha caráter regional. Todos os materiais estão disponíveis na plataforma CoronaCidades, idealizada pela ImpulsoGov.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *